Pra quem mora em São Paulo, essa é mais uma opção bem legal pra um passeio aos finais de semana, sobretudo uma ótima pedida pra um passeio no domingo, isso porque nesse dia, você vai encontrar uma ótima feirinha de artesanato. Aliás, no domingo que fomos até o parque, o sol estava lindo e o céu bem azul, e claro, um dia assim deixa qualquer passeio muito mais gostoso, principalmente um passeio como esse, ao ar livre.

Por isso recomendamos: vá passear no Parque da Independência quando o dia estiver ensolarado. Se for domingo, melhor ainda!

OS JARDINS 

Os jardins do Parque da Independência foram executados nos moldes dos jardins franceses, com estátuas, chafarizes e fontes, tão característicos desse tipo de projeto arquitetônico, e hoje, após a restauração de 2004, a arquitetura original datada de 1920 pode ser conferida de pertinho.

ipiranga

ipiranga

 

ipiranga

ipiranga

O MUSEU DO IPIRANGA

ipiranga

É no Parque da Independência que fica esse museu aí de cima, o MUSEU DO IPIRANGA, que é o museu paulista mais antigo, conforme a Wikipédia:

Museu Paulista da Universidade de São Paulo, mais conhecido como Museu do Ipiranga ou também simplesmente Museu Paulista, é o museu público mais antigo da cidade de São Paulo, cuja sede é um monumento-edifício que faz parte do conjunto arquitetônico do Parque da Independência. É o mais importante museu da USP e um dos mais visitados da capital paulista.

Tombado pelo CONDEPHAAT, CONPRESP E IPHAN, em razão de ter sido aqui, nessa região do Ipiranga,  junto ao antigo Riacho do Ipiranga, que D. Pedro I proferiu a famosa frase que todo mundo aprende na escola: INDEPENDÊNCIA OU MORTE, no ano de 1822.

O museu foi inaugurado no dia 7 de setembro de 1895 e se chamava, naquela época, Museu de História Natural e só tempos depois é que ficou vinculado em apresentar acervos ligados à época e à história da independência do Brasil, como também assuntos ligados à história da própria capital paulista.

Dentre as várias obras expostas, o destaque vai pro famoso (e enorme) quadro “Independência ou Morte” do pintor Pedro Américo, feito no ano de 1888 (mesmo ano em que foi abolida a escravidão no país).

Tive a oportunidade de ver esse quadro e realmente ele impressiona!

independencia

Conforme o site do Museu da Cidade:

A tela “Independência ou Morte” pintada por Pedro Américo foi encomendada por Pedro II ao artista e foi pintada em 1888 em Florença (Itália). O quadro encontra-se no Salão Nobre do Museu Paulista.

O quadro mede 4,15m de altura por 7,60m de largura. Para construir o quadro o pintor fez uma série de estudos, uma vez que pintou 66 anos depois que o grito do Ipiranga tinha ocorrido.

Uma curiosidade que podemos observar no quadro é que na parte da extrema direita da tela uma pequena casinha servindo de pouso de tropas no “Caminho do Mar” que ligava São Paulo a Santos. Chama-se hoje Casa do Grito porque aparece na tela, mas, na realidade, data de meados do século XIX e não fazia parte do cenário da Independência.

 

Nesse quadro, lá no canto superior direito, podemos ver uma casinha, que sim, ainda existe e você pode conhecê-la, é a chamada CASA DO GRITO

CASA DO GRITO

Pouso e ponto de parada de tropeiros que se deslocavam pelo antigo Caminho do Mar, que ligava São Paulo à Santos, a casinha foi construída originalmente em pau-a-pique, o que podemos ver até hoje por um vidro instalado bem na entrada da mesma.

pauapique

E dentro vemos um esboço de como era a distribuição antiga dos cômodos,  sendo que durante um longo período, a casa,  numa das salas da frente, abrigava uma espécie de venda de produtos para abastecer os viajantes.

Muitas reformas foram feitas durante os anos posteriores mas isso não tira em nada o seu encanto. Pra quem está olhando o museu de frente, a Casa do Grito fica à esquerda, numa parte alta do parque.

Aqui uma retrospectiva de como era lugar, e também como a casa está nos dias de hoje.

Segundo a Wikipédia:

Foi desapropriada em 1936, permanecendo semi-abandonada até 1955 , quando se realizou uma restauração que procurava aproximá-la à casa representada na tela de Pedro Américo, que se encontra no Salão Nobre do Museu Paulista (Museu do Ipiranga). Nessa restauração lhe foi incorporada uma falsa janela em uma de suas paredes, a fim de torná-la o mais fiel possível à representação artística do pintor. Nessa ocasião que o imóvel passou a ser conhecido como “Casa do Grito”.

Foi tombado em 1975 pelo CONDEPHAAT  e, em 1981, foi submetida a pesquisas arqueológicas e a obras de restauro  que procuraram corrigir os excessos das intervenções realizadas ao longo dos anos.

O Parque também tem cantinhos super legais pra quem quer tirar fotos, sendo que muitos fotógrafos profissionais usam os jardins pra realizarem ensaios fotográficos.

A FEIRA DE ARTESANATO

Aos domingos, como havíamos dito no começo desse post,  tem uma feirinha de artesanato com vários produtos bem legais, e também barracas de comidas e bebidas bem variadas

E claro, além disso tudo isso tem o pessoal que vai pra lá andar de bike, skate, carrinho de rolemã, tendo como pano de fundo o lindo Monumento à Independência.

E também tem aqueles quem levam seu pet passear. Olha só esse mocinho que encontramos lá: puro charme ♥

Mesmo com o Museu do Ipiranga fechado, e com previsão de reabertura só em 2022, passear pelo Parque da Independência é um passeio super gostoso por si só, e deve sim ser colocado na sua listinha de “Passeios para um domingo de sol”!

COMO CHEGAR

O Parque fica na Avenida Nazaré s/nº, no bairro do Ipiranga, zona sul de São Paulo. Agora,  pra quem quer chegar até lá de transporte público, esses são os ônibus que passam por lá:

ÔNIBUS:
375V-10 – Central Plaza Shop. – Metrô Sta Cruz
4113-10 – Gentil de Moura – Pça da República
4706-21 – Ipiranga – Metrô Vila Mariana
478P-10 – Sacomã – Pompéia
5101-10 – Term. Sacomã – Term. Pq. D. Pedro II
5703-10 – C.A. Ipiranga – Metrô Imigrantes
+ informações: www.sptrans.com.br

Bom passeio!

O que achou?