Essa mensagem aqui, chegou na página do Roteiros & Dicas, lá no Facebook:

Oii! Vocês têm roteiro maiores para Paris? Como por exemplo, 10 dias? Obrigado

Quem nos escreveu foi a Isabela, e a gente já ia mandar algumas ideias pra ela quando pensamos: ” Porque não fazer um post completinho, de dicas do que fazer em Paris nesses 10 dias?”

Na verdade em ‘Paris, Paris’ separamos 7 dias. Outros 3 nós vamos deixar algumas sugestões de passeios bate e volta que podem ser feitos, e que não são cansativos.

Pois bem, bora saber o que nós recomendamos se vocês tiverem lindos, fofos, maravilhosos 10 DIAS EM PARIS, assim como a sortuda Isabela que com toda a certeza, vai ganhar uma nova paixão em sua vida: a linda e deslumbrante Paris!

1º – PRIMEIRO DIA

TORRE EIFFEL

Pra quem nunca esteve na Cidade Luz, ver o Torre Eiffel é o sonho maior, e claro, foi o nosso também. Na nossa primeira vez, assim que deixamos nossas malas no Hotel, corremos pra vê-la e foi fantástico!

Não tinha como ir pra outro lugar sem antes nos apresentarmos à ela, a Dama de Ferro!

Pra chegar até lá existem 03 estações de estações de metrô que ficam super perto:

  • Bir-Hakeim/Champ de MarsTour Eiffel: é a mais próxima, mas talvez a mais sem gracinha (linha 6)
  • Passy: Descendo na estação Passy, você irá atravessar o Sena embaixo da Pont Bir-Hakeim, aquela mesma que ficou super famosa no filme “O último tango em Paris” (linha 6)
Pont de Bir-Hakeim
Pont de Bir-Hakeim
  • Trocadero: uma das melhores vistas da Torre Eiffel (linhas 6 e 9). Clique aqui e comprove… é pra morrer de Amor!

Pra quem quer passear de bateaux (barcos) pelo Sena, aqui, próximo à Torre Eiffel, é um ótimo lugar pra procurar por uma das várias empresas que fazem esse passeio.

INVALIDES

Ótimo passeio pra fazer uma dobradinha com a Torre Eiffel.

Depois de visitar a Torre e seus jardins, siga até o metro École Militaire (linha 8, sentido Créteil-Ponte du Lac), e desça na estação Invalides.

O que é Invalides (Inválidos) e porque visitá-lo?

Luís XIV mandou construir esse imponente edifício, Hôtel des Invalides, para abrigar ex combatentes de guerra, sendo que até hoje existem veteranos que vivem aqui.

No episódio da Queda da Bastilha, foi daqui que saíram muitas das armas que foram usadas naquela 14 de julho de 1789, e também é aqui que fica a cripta de Napoleão Bonaparte, logo abaixo da cúpula dourada

Cripta de Napoleão Bonaparte

Em frente à entrada do Hôtel Invalides, fica a ponte mais charmosa de toda Paris: a Pont Alexandre III.

Vale dar um pulinho lá e tirar muitas fotos!

Pont Alexandre III

E dela dá pra ver, claro, a Torre Eiffel!

Vista da Pont Alexandre III

2º – SEGUNDO DIA

LOUVRE

Foto tirada de dentro de um dos corredores do Louvre

Chegar cedinho pra conhecer esse, que é o museu mais visitado do MUNDO, vale o esforço, mesmo porque, como a gente costuma dizer aqui, “… dormir na Europa é muito caro!”

Pra quem não quer pegar aquela filona imensa, clique aqui e descubra não só um jeito mais fácil e rapidinho de entrar no Louvre, como também um roteiro das suas obras mais importantes!

JARDINS DES TUILERIES

Jardin des Tuileries

Saindo do Louvre, em frente à grande pirâmide (atravessando a rua) e passando pelo Arc du Carrousel, está o Jardin des Tuilleries, ótimo pra um passeio sem pressa, apreciando a paisagem.

Quase no final desse Jardin, está  exposta uma das mais belas obras de Claude Monet, no interior do Museu da Orangerie, as Nympheas, que são os quadros que retratam os seus jardins em Giverny.

IM PER DÍ VEL!

E no final da caminhada, você estará na Place de la Concorde.

Place de la Concorde

Saindo à direita, começa uma das ruas mais procuradas em Paris, depois da Champs Elysées: a rue de Rivoli, com seus Arcos e suas lojas.

Passeie por ela, repare na grande quantidade de lojas que há pelo caminho. Siga sempre em frente, passando pela lateral do Louvre e encontre a Tour Saint Jacques, e mais à frente, a rue de Rivoli te levará até o Hôtel de Ville, que é a Prefeitura (Mairie) de Paris, ao lado do metrô com o mesmo nome.


3º – TERCEIRO DIA

ARCO DO TRIUNFO

Um dos pontos turístico bem conhecidos é o Arco do Triunfo e pra chegar lá é fácil: pegar o metrô e descer na estação Charles de Gaulle Étoile, e procurar pela passagem subterrânea que te levara até debaixo do Arco.

Mico: não tente, NUNCA, atravessar por cima. O Arco é rodeado por uma rotatória imensa, com 4 ou 5 faixas de carro à toda velocidade!

Já vimos gente tentando… não faça isso!

CHAMPS ELYSÉE

De lá é só começar a descer a linda Champs Elysées, uma das ruas mais CARAS do mundo. Com inúmeras lojas de grife, mas também lojas populares como H&M, Mac Donalds, e vários cafés.

Passear pela Champs é uma delícia!

GRAND E PETIT PALAIS

Quase no final da Champs Elysée, descendo à direita, entre na rue Winston Churchill vá conhecer o Grand e o Petit Palais, dois lindos prédios com a clássica arquitetura francesa.

Não é raro que haja alguma exposição rolando em algum dele!

PONT ALEXANDRE III

Se estiver com saudade ou não teve tempo de conhecer a Pont Alexandre III, no roteiro do primeiro dia, ela fica no final dessa rua… Aproveite e tire mais fotos!

ÓPERA GARNIER

Na rua lateral do  Invalides, pegue o metrô com esse mesmo nome, sentido Créteil Pont du Lac (linha 8) e desça na estação Ópera. Saindo da estação, bem em frente, fica um dos teatros mais lindos do mundo, o Ópera Garnier, não deixe de conhecer por dentro!

Depois da visita, suba a Place Jacques Rouché. Nela tem a famosa loja da Apple e no final a não menos famosa Galeria Lafayette, com sua cúpula de vidro que é um arraso, e as melhores lojas pra você se deliciar!

GALERIA LAFAYETTE

No último andar tem um terraço com uma vista panorâmica de Paris, com direito a ver a Torre Eiffel e todoas aqueles telhados lindos que são característicos da cidade!

Na mesma rua da Lafayette, a Boulevard Haussmann, tem também a icônica Printemps, outra galeria que também tem uma terraço panorâmico maravilhoso! 


4º – QUARTO DIA

VERSALHES

sala-dos-espelhos
Sala dos Espelhos

Um passeio que a gente recomenda muito, muito mesmo, muitão é esse: passar o dia em Versalhes!

Por que passar o dia?

Porque o palácio é imenso e a visita não se restringe ao seu interior, MUITO PELO CONTRÁRIO!

Além do castelo, tem o passeio pra conhecer o Petit e o Grand Trianon, que eram os “castelinhos particulares” do rei e da rainha, os jardins do Petit Trianon,  o Domaine da Maria Antonieta, os lagos que fazem parte do complexo de Versalhes… é muita coisa!

Tanto é que na primeira vez que fomos pra Paris, em 2012, nossa visita pra Versalhes foi totalmente diferente do convencional. Isso porque deixamos pra visitar o interior do Château por último e adivinhem: perdemos o horário!

Clique aqui e veja se não é pra se perder nesse lugar fantástico e ver porque eu e a Ana, ficamos tão encantadas com o Domaine da Maria Antonieta que perdemos a hora!

Domaine Maria Antonieta

Voltei em 2013 e conheci com meu filho o interior do Castelo. A Ana só foi conhecê-lo em 2015 rsrsrs!

A Ana em março de 2012, com 11 anos de idade, quando perdemos a visita no interior do Castelo
Em agosto de 2015, com 15 anos e no mesmo lugar no Domaine

COMO CHEGAR EM VERSALHES

Pra saber como chegar fácil fácil em Versalhes, de trem e sem gastar quase nada, clique aqui e veja o passo a passo!


5º – QUINTO DIA

MONTMARTRE

Nosso bairro do coração (que foi anexado à Paris no ano de 1860), onde já ficamos duas vezes hospedados e é sério: não o trocamos por nenhum outro!

Sácre-Coeur

Nós já fizemos um post especial desse bairro super charmoso, com direito a um roteiro visitando a linda Basílica do Sácre-Cœur, e as fofas escadas que existem por lá!

Foi também nesse post que colocamos um ANTES E DEPOIS dos lugares pelos quais já passamos, e que sentimos tanta saudade: clique aqui e confira. Ah… também nesse mesmo artigo, levamos vocês com nosso roteiro até os Vinhedos, ou o Clos Montmartre.

Dalí  do Clos, é só voltar uma quadra até a Maison Rose, e descer a rue de l’Abreuvoir, que é uma das mais lindas de Paris!

Essa é ela por volta do ano 1900

Rue de l’Abreuvoir

Tire muitas fotos e aproveite pra almoçar na Place du Tertre, onde existe uma enorme variedade de restaurantes e bistrôs!

Depois, volte pelo Sacré-Cœur e assim que passar pelo Carrossel e chegar à rua, siga à direita pela rue Tardieu e continue pela rue Yvonne le Tac até o metrô mais fofo de Paris, estilo art-noveau: o metrô da estação Abbesses!

Olha a Ana aí, na nossa segunda viagem juntas pra Paris, fotografando essa estação lindinha!

Estação Abbesses

Atrás da estação está o “Muro do Amor”, onde podemos ler a palavra EU TE AMO e diferentes linguas!

Muro do Amor

De volta à rua e com a estação de metrô atrás de você, pegar a rue des  Abbesses à direita. Virar à esquerda na rue Lepic e parar neste que se tornou um dos Cafés mais procurados de Paris, o Cafe des 2 Moulins, o Café onde foi filmado o filme Ámelie Poulin ♥

Cafe des 2 Moulins

Nunca viu esse filme?

Ahhhh, veja antes de ir… é muito fofo!

Se continuar a descer a rue Lepic, chegando na esquina do Boulevard Clichy, à direita, terá o famosão Moulin Rouge!

Moulin Rouge

Na rua do Moulin Rouge fica a estação de metrô Blanche, onde também existe um mercado super bom, o Monoprix (fala-se monoprí), excelente pra umas comprinhas.


6º – SEXTO DIA 

DISNEYLAND PARIS

Lugar mágico, situado 30 Km distante de Paris, onde a gente volta a ser criança e que vale a visita!

Claro que a Disneyland Paris, antes chamada de Euro Disney é imensamente menor que a de Orlando, mas a magia é a mesma!

Na verdade são 2 os Parques:

PARC DISNEYLAND

Parecido com a Disney californiana, onde encontramos o Castelo, um imenso Carrossel, trenzinhos… uma graça!

Pras crianças menores esse é o parque ideal!

A “Parada” é a coisa mais fofa, com muita música e vários personagens Disney!

Destaques do Parc Disneyland:

  • Main Street U.S.A – com as várias lojinhas de souvenirs
  • Frontierland –  Big Thunder Montain e a Vila Pocahontas
  • Adventureland – Indiana Jones e o Templo da Perdição (Temple du Péril) e a Praia dos Piratas (Plage des Pirates)
  • Discoveryland – Autopia que é uma pista de carrinhos e o trenzinho (Disneyland Railroad)
  • Fantasyland – O Castelo da Bela Adormecida ( Le Château de la Belle au Bois Dormant) e o Carrossel (Le Carrousel de Lancelot)

PARC WALT DISNEY STUDIOS

Lembra um pouco o Hollywood Studios de Orlando, indicado pra crianças maiores.

Amamos conhecer a Torre do Terror, aquela que é como um hotel abandonado e que você despenca lá de cima!

Tem também uns cenários super bacanas de filmes, e uma atração onde você sente até o calor do fogo de um caminhão que explode (Studio Tram Tour – Behind the Magic)

Nós já chegamos nos parques com os bilhetes comprados pela internet, o que foi super legal pois não precisamos pegar fila!

Pra chegar de transporte público, pegar o trem RER-A em qualquer uma dessas estações de metrô:

  • La défense
  • Charles de Gaule Étoile
  • Auber
  • Châtelet – Les Halles
  • Gare de Lyon
  • Nation

Você deverá desembarcar do seu RER-A na Marne-la-Vallée (Parcs Disneyland).  Essa foto da Ana foi tirada logo depois que saímos da estação, exatamente em frente ao Parque, super fácil!


7º – SÉTIMO DIA

A Île de la Cité, onde Paris nasceu, foi a escolhida desse 7º dia de passeio. Pra chegar lá desça no metrô Cité (linha 4), onde fica o mercado de flores mais antigo de Paris: o Marché aux Fleurs, que já foi eternizado em várias pinturas, de diferentes artistas!

Le Marché aux fleurs (vers 1885), de Victor Gilbert

CONCIERGERIE

Resquício de um dos grandes palácios que já existiram na cidade, e onde Maria Antonieta ficou presa, antes de ser guilhotinada em 16 de outubro de 1793, na Place de la Concorde.

Vale a visita, SIM!

Seu interior é magnífico, a arquitetura deslumbrante, principalmente a do chamado GRANDE SALÃO, lugar que serviu de refeitório aos empregados do antigo Castelo.

SQUARE DU VERT-GALAN

Saindo da Conciergerie, dê um pulinho pra conhecer esse cantinho romântico de Paris, a Square du Vert Galan, que é o “biquinho” da Île de la Citè, e que está bem abaixo do nível da rua!

Acima dele está a estátua do  rei Henrique IV e a Pont Neuf (Ponte Nova), quer na verdade é a mais antiga da cidade ( e que rende lindas fotos nos seus balcões)

Henrique IV era denominado Le Vert Galan, pois apesar de sua idade era um galanteador inveterado!

NOTRE DAME DE PARIS

Outro passeio imperdível é visitar a Igreja de Notre Dame, na île de lá Cité, onde nasceu Paris!

Além do interior ser magnífico, com seus vitrais imensos, a gente também pode subir até o topo da Catedral e ter uma vista nota 10 da cidade e claro, dar ou oizinho pros gárgulas que moram lá!

Cansa subir?  Sim, mas vale cada degrau!

Saindo da Catedral vire à esquerda onde tem um jardim que beira o Sena. No final, você terá a mais linda vista que Notre Dame pode ter: essa aqui ó!

E essa aqui é a vista da outra margem:

Atravesse a Pont Saint Louis e vá provar o melhor sorvete de Paris, na Sorveteria que é nossa preferida, a Bertillon, na 29-31 rue Saint-Louis en l’Île , a  e experimente o sabor caramel au beurre salé: imperdível!

Vá até o final dessa rua e pegue à esquerda na Pont Sully.  Acesse o metrô Sully-Morland (linha 7) sentido Villejuif-Louis Aragon e desça na estação Jussieu, onde fica o Jardin des Plantes

…e o Museu de História Natural. Excelente passeio pra terminar o roteiro desse sétimo dia!


8º – OITAVO DIA

Hoje começaremos nosso roteiro pelo Panthéon e pra chegar lá o melhor é descer na estação Cardinal Lemoine.

Saindo do metrô, pegue a rue Clovis que depois terá seu nome mudado pra Place du Panthéon. Na esquina da Clovis com a rue de la Montagne Sainte Geneviève (à direita) estará a igreja Saint-Étienne-du-Mont…

E?

Bom, pra quem assistiu o filme Meia Noite em Paris, é aqui que o ator principal espera o carro antigo que o leva ao passado!

Retornando pra Place du Pantheón, lá estará ele o…. Panthéon!

Conforme a Wikipédia diz:

O Panteão é, indubitavelmente, monumental. Iniciadas em  1764, as obras do edifício foram encomendadas pelo monarca Luís XV, o qual, após recuperar-se de uma grave doença, ordenou ao arquiteto Souflflot  a construção de uma basílica em tributo à Santa Genoveva (padroeira de Paris), em substituição à antiga abadia ali existente. Concluído em 1790, sob a gerência de Rondelet, o edifício foi laicizado pelos movimentos revolucionários burgueses, transformando-o em Panteão nacional. Hoje, na cripta, 70 célebres personagens da história francesa repousam – tais como escritores, cientistas, generais e políticos –, motivo pelo qual o frontão contém, inscrito, o interessante brocardo “Aux grands hommes, la patrie reconnaissante” (“Aos grandes homens, a pátria é grata”), junto ao interessante baixo-relevo, de David d’Angers, alusivo à homenagem da pátria francesa a seus imponentes heróis.

No subterrâneo, existe uma cripta, onde alguns célebres personagens da história têem seu memorial ou mesmo encontraram sua última morada. Dentre eles (63 no momento): Alexandre Dumas, Émile Zola, Jean Monet, Marie Curie, René Descartes, Victor Hugo e Voltaire.

Saindo do Panthéon, sempre em frente pela rue Soufllot você chegará ao Jardin de Louxemboug, onde muito parisienses vão pra passear!

É la que fica a Fontaine Medicis:

Linda demais!

Sua construção por volta de 1630 foi um pedido de Rainha Maria de Médice, viúva do Rei Henrique IV. Ótimo lugar pra fotos maravilhosas!

Aliás, todo o Jardim é um convite pra pegar a câmera e fazer fotos inesquecíveis!

Atravessando o Luxembourg de ponta à ponta, até a rue Guynemer, siga à direita pela mesma. Atravesse a rue Vaugirard e continue em frente, agora pela rue Bonaparte. À sua direita estará a Igreja Saint Sulpice, uma das igrejas que aparecem no filme do Dan Brow, Código da Vinci!

Sempre em frente, você cruzará com a rue du Four e é lá, no nº 26 que está o melhor e mais barato lugar pra se comprar cosméticos em Paris, na famosinha CityPharma, onde os preços chegam a ser 40% menores que em outros lugares! Mas prepare-se: ela está sempre lotada (mas sério, vale toda a muvuca!)

No final da rue Bonaparte você chegará ao Boulevard Saint Michel, lugar dos dois mais conhecidos Cafés parisienses:

  • Café les deux Magots

  • Café de Flore

Escolha um deles, sente, tome um café, um chocolate quente, e respire Paris!

Aproveite! A vida é feita de pequenos prazeres ♥

Aqui também está a Igreja de Saint Germain-des-Prés, igreja beneditina fundada em meados do século IV pelo então rei de Paris, Childeberto I, da dinastia merivíngia, para, a princípio, guardar as relíquias cristãs de São Vicente de Saragoça e também uma parte da Cruz em que Cristo foi crucificado. .. mas isso nunca foi verdadeiramente comprovado!

Na lateral da igreja, entre na rue de l’Abbaye. depois de alguns metros, à esquerda estará a menor praça de toda Paris, a fofa Place Furstemberg


9º – NONO DIA

GIVERNY 

Outro passeio maravilhoso, que pode ser feito de março à novembro, é esse bate e volta de Paris pra linda e encantadora Giverny, lugar onde fica a casa de um dos principais pintores impressionista: Claude Monet.

Ele morou em Giverny de 1883 até 1926, ou seja, mais de quarenta anos que lhe renderam as mais belas imagens de jardins já pintados no mundo!

Conhece esse famoso pintor? Olha um pouquinho o que a Wikipédia diz sobre Monet e Giverny:

Em 1899, Monet pintou em Giverny a famosas série de quadros chamadas “Nenúfares”. Em sua propriedade em Giverny, Monet tinha um lago e uma pequena ponte japonesa que inspirou a série de nenúfares. Estas obras quando foram expostas fizeram grande sucesso. Era o reconhecimento tardio de um gênio da pintura.

Monet ao pintar Nenúfares se baseou no lago e a ponte japonesa de sua própria casa, no outono, porque era nessa época do ano em que as flores caiam sobre o lago criando uma linda visão na qual Monet resolveu pintar. A técnica de Monet para pintar quadros era bastante peculiar para as pessoas e outros artistas que o viam pintando, mas a técnica de Monet desenvolvida na época foi considerada mais tarde como umas das mais belas do mundo, que é o impressionismo, que aparenta ser de perto apenas borrões mas ao distanciar a visão, o quadro se forma nitidamente.

Pra chegar lá? Olha só:

Giverny está distante da capital Paris, 70 km, e o jeito mais econômico é ir de TREM!

Vá até a estação Saint Lazare e no guichê peça uma passagem pra Vernon. Não sabe como fazer isso?

Anota aí:

Bonjour, je voudrais  1 un (2 deux, 3 trois, 4 quatre ) billet(s) pour Venon, s’il vous plaît.

Com o bilhetinho na mão, pegue seu trem e vá até Vernon, que é a cidade servida pela RATP, mais próxima de Giverny. Descendo lá tem ônibus a cada 15/20 minutinhos, saindo da estação de Vernon para Giverny.

Você pode verificar o preço e os horários desses ônibus, chamados de Navettes, clicando aqui, no site da própria Fundação Monet.

Lá você poderá visitar a Casa onde viveu Monet

e seus jardins, lago e ponte japonesa!

Passeio pra ir sem pressa, sem correria, aproveitando cada momento nesse lugar tão especial!


10º – DÉCIMO DIA

BASTILHA 

Lugar que deu origem à Revolução Francesa quando da “Tomada da Bastilha” (Prise de la Bastille), em 14 de julho de 1789, era na época uma prisão, mas que na verdade funcionava sobretudo como depósito de armamento do Estado, visto que na data da Revolução Francesa, só haviam 07 presos no seu interior!

A Tomada da Bastilha, pintura de Jean-Pierre Louis Houël, 1789.

Hoje não sobrou nada desse prédio tão importante, mas na plataforma da estação de metrô Bastille, ainda podemos ver as pedras originais da fundação da Bastilha!

Após a Queda da Bastilha, a Assembleia Constituinte francesa aprovou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, inspirada na declaração norte-americana, contendo textos sobre a liberdade de expressão.

Hoje, no seu lugar, existe uma rotatória e um monumento à liberdade.

PLACE DES VOSGES

Localizada no Marais, a Place des Vosges é uma das mais indas de Paris!

Essa praça, que faz parte tanto do 2º quanto do 3º arrondissement (bairro) parisiense, é a mais antiga de Paris, e desde 1954 é considerada monumento histórico nacional!

Lugar de moradia de muitas celebridades, dentre elas Victor Hugo, sendo que lá, inclusive, há um museu exatamente no mesmo endereço onde ele residiu.

O diferencial aqui é que a des Vosges é uma praça quadrada: mede 140 por 140 metros e é rodeada por imóveis de dois andares.

Uma graça!

Essa nosso roteiro do último dia em Paris, só precisa de meio dia pra ser feito. E isso vai te deixar livre pra que no período da tarde, você possa se despedir daquele lugar que mais gostou: Torre Eiffel, Louvre, Trocadero, Jardin de Tuileries, Champs Elysées… Qual terá sido, hein?

E quantos de nós não sonha em fica 10 dias aproveitando Paris?

Ô coisa boa!

 

 

 

*Créditos fotográficos

Pixabay: capa, cripta, Moulin Rouge, Panthéon

Flickr: tuileries, Conciergerie, Jardin des Plantes, Museu de História Natural, Ponte em Giverny, Lago em Giverny, Casa de Monet, Café les deux Magots, Café de Flore


Planejar é viajar!
Roteiros & Dicas – Informações e ideias de roteiros, com dicas de viagem para os melhores destinos.

 

O que achou?