Quando estivemos no Chile, decidimos conferir a vinícola mais famosa entre os brasileiros: a Concha y Toro!

Passeio super legal e o melhor: pode ser feito por conta própria, sem ter que pagar um dinheirão pra curtir a vinícola que é o amorzinho dos brasileiros!

COMO CHEGAR 

O melhor jeito é de metrô e ônibus, mas atenção: no metrô tem uma pegadinha que nunca vimos ninguém explicar… até agora!

A estação que fica a vinícola se chama Las Mercedes (linha 4 – azul), que fica distante do centro de Santiago cerca de 1h10, e você pode acessá-la a partir da estação Tobalaba (onde fica o Sky Costanera).

A PEGADINHA

Porém é aqui que existe a pegadinha: NEM TODOS OS TRENS VÃO PASSAR PELA ESTAÇÃO LAS MERCEDES!

Por que?

Porque existe uma configuração nessa linha de metrô, que algumas estações são denominadas VERDES e outras VERMELHAS, e claro, existem trens que param em apenas uma delas e outros que param em estações servidas por ambas as cores, chamadas de ESTACION COMÚN (que é o caso da Tobalaba)

Você pode verificar qual o seu trem, olhando para a placa que fica acima da porta dos vagões. Elas vão indicar onde aquele trem vai parar: se na ruta verde ou

na ruta roja:

A estação LAS MERCEDES é a penultima do gráfico, e é da RUTA ROJA (vermelha).

A gente não tinha ideia de que era assim que as coisas funcionavam e demos sorte de pegarmos o trem certo quando fomos pra lá!

Chegando na estação Las Mercedes saia da catraca à sua esquerda e siga a placa:

Suba as escadas rolantes e siga em frente. Lá estará o ponto de ônibus (pegue os de número 73, 80 ou 81), chamado metrobus,  que te deixarão em frente à Concha y Toro, é só dizer ao motorista que quer parar lá.

O PASSEIO

Logo depois da entrada tem uma guarita onde irão perguntar se você agendou a sua visita. Como esse é um passeio muito procurado, é aconselhável que você reserve pelo site (clique aqui e agende), mesmo porque você terá a possibilidade de agendar sua visita em português, o que recomendamos muito (porque portunhol nessas horas não serve não!). Outra coisa é que existem diferentes tipos de tour, de diferentes preços.

Nós pegamos o tour tradicional, que deve durar pouco menos de uma hora e que dá direito à 3 degustações de vinho (um branco e 2 tintos) e também você pode levar sua taça de lembrança. Como eu não pude beber (16 anos ainda não dá, né?), minha mãe comprou uma taça avulsa pra mim, além de uma garrafa de Casillero na lojinha da vinícola.

Assim que a gente passa esse portal, logo na direita, fica o portão onde o guia nos aguarda pra começar o tour. Olha como o céu estava lindo no dia da nossa visita!

E o passeio começa com o guia nos contando história da vinícola, desde a sua fundação até os dias atuais:

 ” É uma empresa chilena, produtora e exportadora de vinhos. Foi fundada em  1883 por Don Melchor de Concha y Toro.

A vinícola Concha y Toro é a maior do Chile e é atualmente controlada pelas famílias Guilisasti e Larrain. A empresa representa 37% do mercado interno chileno e 31,4% das exportações chilenas de vinho, sendo que  70% de suas vendas são para exportação para aproximadamente 110 países.”

AS PARREIRAS

Depois nós fomos conhecer os vinhedos e os diferentes tipos de uvas que são cultivados por lá. Como fomos no inverno, os galhos estavam bem sequinhos, mas a paisagem estava maravilhosa!

O CASILLERO DEL DIABLO

Depois que visitamos o exterior da vinícola fomos conhecer onde são guardados alguns dos tonéis de vinho e claro, fomos conhecer o Casillero del Diablo!

Aqui eles passam um filminho contando a história desse nome tão peculiar e o que o tal Diablo tem a ver com ele!

Aqui, a estrutura construída no início do funcionamento das Concha y Toro, foi feita com Cal y Canto, que é uma mistura de cal, água e clara de ovo, usada pra unir os tijolos. O interessante aqui é que essa massa é perfeita pra lugares como o Chile, onde existem muitos abalos sísmicos, pois ela ao mesmo tempo que essa é uma mistura forte, ela também é “maleável” quando o assunto é terremoto!

No final, lá no fundo do corredor tá ele: el Diablo!  (ok, não é tão assustador assim…)

O RESTAURANTE

Na saída desse passeio tem a degustação dos vinhos e depois quem quiser comer alguma coisa, estará livre pra ir no restaurante da vinícola e também na lojinha de vinhos

DICA:

Não compre vinho na lojinha não!

Nós compramos e depois fomos ver no mercado perto do nosso apartamento e lá estava mais barato, detalhe: ainda vinha numa lata super fofa!

Se quiser levar alguma lembrancinha, veja os chaveiros, abridores de garrafa… mas vinho pode comprar nos mercados do Chile que são bem mais em conta!

Ouvimos muitas pessoas dizerem que esse passeio na Concha y Toro não era legal, que tudo era muito comercial e isso, e aquilo, que pensamos duas vezes se a gente ia mesmo fazer. Comercial, é … mas vale muito!

As paisagens são lindas e o tour, mesmo esse mais rapidinho que nós fizemos, é muito bom!

Olha só se tem como não gostar de um lugar desses!

 

E aqui você pode conferir mais alguns posts que fizemos sobre o Chile… vai que ajuda, né?

 


Planejar é viajar!
Roteiros & Dicas – Informações e ideias de roteiros, com dicas de viagem para os melhores destinos.

Escrito por

2 Comentários

  1. Que ótima dica!
    Adorei!!!
    Especialmente porque é um dos principais passeios que quero fazer no Chile!
    Beijos!!!

    • Ahhh Camila, mamãe manda avisar que você não pode perder esse passeio! Nós realmente adoramos, e as taças que a gente trouxe de lá serviram de lembrancinhas da nossa viagem, muito fofas!

O que achou?